PUBLICAÇÕES

AMANHÃ QUERO SER VENTO

2018

 

O primeiro romance do autor conta a história de Manandí, que rompe com as amarras de sua vida familiar em uma pequena cidade e parte para a metrópole, onde enfrenta as durezas da vida na periferia. A protagonista se vê forçada a uma separação temporária das filhas e acaba tendo um envolvimento com outra mulher. Todos os personagens têm uma experiência comum: o abandono. Texto arrojado e sensível de Michel Yakini, que trata também de temas como machismo, homofobia, prostituição, drogas, violência contra as mulheres e as populações periféricas.

Livro indicado entre os melhores de 2018 no Suplemento Pernambuco.

LEIA MAIS...

CRÔNICAS DE UM PELADEIRO

2014

 

O terceiro livro do escritor Michel Yakini é dedicado ao gênero de crônicas.

Crônicas de um Peladeiro dá conta de uma narrativa diversa, que relaciona o futebol como parte de uma sociedade contraditória, mas que aponta o quanto esse imaginário move paixões, além de ser fonte de beleza e poesia. Isso sem jogar pra escanteio o objetivo essencial do autor: o de produzir uma obra literária.

LEIA MAIS...

ACORDE UM VERSO

2012

 

Lançado em 2012, é o segundo livro de Michel Yakini, o primeiro no gênero poesia. Reúne textos escritos desde 2007,  publicado pelo selo Elo da Corrente Edições, com editoração de Michel Yakini e Raquel Almeida e revisão e arte final de Sonia Regina Bischain.

 

Esse trabalho foi editado durante 5 anos, em que sua produção, alimentada principalmente nos saraus literários, foi buscando casar e descasar a voz e a página, o revide e o lúdico, a roda e o umbigo, a urgência e a estética.

O QUE RESTA DAS COISAS

2018

 

A partir do Acervo Caio Fernando Abreu, disponível no Delfos/PUCRS – que abriga desde seu antigo álbum de bebê e sua máquina de escrever, até suas cartas de tarô e seus LPs –, escritoras e escritores exploram o potencial poético de um dos grandes autores da literatura brasileira no século XX.

28 nomes da literatura brasileira contemporânea. 15 objetos pessoais de Caio Fernando Abreu. É o fruto desse encontro que o leitor tem agora em mãos.

Afinal, de tudo resta um pouco, pois objetos também são passaportes para memórias, sensibilidades, ficcionalizações, interpelações.

Livro indicado ao prêmio AGES - Associação Gaúcha de Escritores 2019.

 

DESENCONTROS

2007

 

Trabalho de estréia de Michel Yakini, quando ainda publicava como Michel da Silva, reúne contos que retratam estórias da periferia de Pirituba em SP.

 

Foi lançado em 2007, pela Câmera Brasileira de Jovens Escritores, com uma tiragem experimental de 100 exemplares, que foram vendidos e presenteados somente aos amigos e familiares.

 

O livro conta com uma introdução escrita pelos integrantes do grupo de Rap Alerta ao Sistema.

 

Brasil Periférica 

(Chile/2016)

Reedição da antologia organizada e traduzida pela pesquisadora Lucía Tennina. Nesse trabalho Michel Yakini participa com o poema "Sentimentos".

Saraus - Movimiento/ Literatura/Periferia /São Paulo
(Argentina/2014)

Antologia organizada e traduzida pela pesquisadora Lucía Tennina, publicado

na Argentina e no México, apresenta um panorama da literatura produzida na

periferia de São Paulo. Nesse trabalho Michel Yakini participa com os poemas "Sentimentos" e "Prece".

 

Na imprensa: Produção literária da periferia ganha versão em espanhol

Brasil Periférica 

(México/2014)

Reedição da antologia organizada e traduzida pela pesquisadora Lucía Tennina. Nesse trabalho Michel Yakini participa com o poema "Sentimentos".

Antologia Sarau da Brasa
 

Michel Yakini firma mais uma participação e parceria com o Coletivo Cultural Sarau Poesia na Brasa, em atividade desde 2008 e com 11 livros lançados. É um movimento cultural enraizado na zona norte, atua principalmente na Vila Brasilândia. 

Antologia Sarau da Ademar
 

Lançado em 2012, trata-se do primeiro livro do Sarau da Ademar: Primeiras Prosas.

Antologia Sarau Elo da Corrente

 

 

Prosa e Poesia Periférica.

2008.

Antologia Sarau da Brasa
 

Michel Yakini firma mais uma participação e parceria com o Coletivo Cultural Sarau Poesia na Brasa, em atividade desde 2008 e com 11 livros lançados. É um movimento cultural enraizado na zona norte, atua principalmente na Vila Brasilândia. 

Do Luto à Luta - Mães de Maio
 

Organizado pelas Mães de Maio, o livro foi lançado em 2011, ocasião dos 5 Anos dos Crimes de Maio de 2006, e reúne textos das Mães e Familiares. Reúne também Poesias de Escritores Periféricos como Sérgio Vaz (Cooperifa), Michel Yakini (Elo da Corrente), Sarau da Brasa, Marcelino Freire, Rodrigo Ciríaco (Mesquiteiros), Poeta Dinha, Hélber Ladislau (Cooperifa) e Rapper GOG (DF), entre outros.

Antologia Sarau Perifatividade
 

Realizado no Fundão do Ipiranga, o Coletivo Sarau Perifatividade lançou seu primeiro livro, a Antologia Sarau Perifatividade. A produção, além de Michel Yakini, tem a participação de outros 35 autores, entre eles Alessandro Buzo, Fuzzil, Walner Danziger, Emerson Alcalde e Fanti Manumilde.

Revista Grap
 

Com o texto "O Crime", Michel Yakini participa da Revista Grap, lançada em 2008. Também participam da produção autores como Alan da Rosa, Akins Kintê, Dinha e Raquel Almeida. Para cada poema da revista foi desenvolvida uma composição gráfica, utilizado técnicas mistas de ilustração, grafite, computação gráfica e design.

Negrafias - Literatura e Identidade
 

A obra, lançada em 2009, é composta por 17 autores, evidenciando a riqueza e complexidade do mundo negro trazendo textos em diferentes linguagens, como: conto, poesia, teatro e ilustrações.

Antologia Sarau dos Mesquiteiros
 

Com 54 escritores, a antologia organizada por Rodrigo Ciríaco, Antologia Sarau dos Mesquiteiros, é o primeiro livro de Os Mesquiteiros, coletivo cultural formado por jovens e adolescentes da comunidade do Jardim Verônia (Ermelino Matarazzo).

Negrafias
 

A obra é composta por autores, evidenciando a riqueza e complexidade do mundo negro trazendo textos em diferentes linguagens, como: conto, poesia, teatro e ilustrações.

Pelas Periferias do Brasil
 

 “Suburbano Convicto – Pelas Periferias do Brasil”, lançada em 2007, foi organizada por Alessandro Buzo.

Cadernos Negros
Vol 32
 

Com o texto Orvalho do Amanhã, Michelk Yakini faz sua participação no Cadernos Negros Vol. 32, de contos afro-brasileiros. Entre outros atores que participaram junto ao escritor desta edição, estão Cuti, Ademiro Alvez, Sergio Ballouk, Sidney de Paula Oliveira, Valdomiro Martins, entre outros.

Cadernos Negros Vol 30
 

Edição coordenada por Marcio Barbosa e Esmeralda Ribeiro. Nessa edição Michel Yakini participa publicando o conto "Charutinho", na publicação que conta com 25 autores.

Cadernos Negros Vol 36
 

Edição coordenada por Marcio Barbosa e Esmeralda Ribeiro. Com 14 autores e dezesseis contos que dão um agudo retrato de diversos aspectos da vivência afro-brasileira contemporânea. Nessa edição Michel Yakini participa publicando o conto "Prato que se come frio".

Todo material do site pode ser reproduzido por qualquer veículo de comunicação, desde que citada a fonte e mantida a íntegra do material. © 2014 

  • Twitter Clean
  • Facebook Clean