COMO ESCREVI AMANHÃ QUERO SER VENTO

Michel Yakini

            Comecei a escrever “Amanhã quero ser vento” em 2009, quando resolvi participar da antologia de contos Cadernos Negros vol. 32. Fiquei durante alguns dias escrevendo um conto pra este livro e intitulei de “Orvalho da Manhã”, ainda muito influenciado pelas leituras dos livros “A Canção de Solomon” de Toni Morrison e “A cor púrpura” de Alice Walker.

            Quando enviei o conto pra seleção da antologia, recebi um comentário, anônimo, dizendo que aquela história pedia continuidade, como o início de um romance. Aquilo ficou na minha cabeça durante meses. A antologia foi publicada, e no ano seguinte, em 2010, me encorajei em dar continuidade naquela história...

           

 
 
O que estão dizendo sobre
Amanhã quero ser vento

" Eu li e me apaixonei por Manandi do livro
Amanhã Quero Ser Vento, de Michel Yakini.

 

É daqueles livros que a gente anseia por saber
qual será o desfecho final. 

Que pra mim fala sobre coragem, força, sensibilidade
e um pouco de sorte para conquistar  a cada dia sua felicidade, que não está na mãos do outro, mas de si. "

Suêrda Deboa

Ativista Social e Política das causas sociais, econômicas, políticas e ambientais

Todo material do site pode ser reproduzido por qualquer veículo de comunicação, desde que citada a fonte e mantida a íntegra do material. © 2014 

  • Twitter Clean
  • Facebook Clean